61 3543-8039

61 98381-0030

Top

Esporão de calcâneo ou Fascite plantar?

Esporão-de-calcâneo-ou-Fascite-plantar-img

Esporão de calcâneo ou Fascite plantar?

Dor no calcâneo é uma das queixas mais comuns em consultórios médicos generalistas e também nos dos especialistas em pé e tornozelo.

 

Por  muito tempo o esporão do calcâneo plantar levou a culpa por algo que não merece, ou seja, uma severa dor na região plantar e medial do calcâneo ao acordar ou após períodos prolongados ao ficar em pé foi relacionada a esta calcificação plantar no calcâneo. No entanto, a presença deste esporão não tem correlação direta com a referida dor ao qual diagnosticamos como fascite plantar.

 

A Fascite plantar é compreendida por uma desorganização das fibras de uma densa estrutura plantar, a fáscia plantar. Nem sempre encontramos processo inflamatório nesta alteração, sendo assim, o termo mais adequado deveria ser fasciose plantar.

 

A causa ainda é desconhecida, entretanto, estudamos os fatores de risco e a evidência científica destes fatores com o surgimento da Fasciite de plantar.

 

Os principais fatores de risco são divididos em fatores sistêmicos como doenças endocrinológicas como diabetes  e hipotireoidismo, doenças reumatológicas como artrites inflamatórias e espondilite anquilosante. Nos estudos científicos, o sexo feminino configura um fator de risco com forte associação ao desenvolvimento desta síndrome dolorosa. Os fatores biomecânico que devem ser levados em consideração são o aumento da sobrecarga de peso nos obesos ou nas gestantes, profissões que exigem períodos prolongados em posição em pé, encurtamento do tendão de Aquiles, atletas corredores e pessoas sedentárias que usam calçados de solados finos e flexíveis.

 

O quadro clínico é suficiente para o diagnóstico, não sendo obrigatoriamente necessário exames de imagem. Entretanto, na avaliação médica, caso tenha suspeita de diagnósticos diferenciais, ultrassonografia, ressonância magnética, Rx e exames laboratoriais podem fazer parte desta investigação.

 

Após o diagnóstico, um plano terapêutico deverá ser discutido pelo seu médico pois temos muitas opções de tratamentos. De forma geral, combinamos as múltiplas opções como protocolos fisioterápicos de exercícios de alongamentos com técnicas para controle de dor como crioterapia, manipulações, mudança de calçados, acupuntura, eletroterapia e algumas classes de medicações. A terapia de onda de choque (ortotripsia) é um método físico de tratamento que tem demonstrado uma diminuição significativa no tempo de tratamento.

 

Desta forma, diante dos sintomas descritos, tanto em atletas quanto em pessoas sedentárias,  procure o teu médico especialista para confirmar o diagnóstico assim como individualizar a proposta terapêutica.

 

Dr. José Brandão Brandao

Médico ortopedista, especializado em Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé do Instituto de Medicina do Movimento de Brasília – IMOV.