61 3543-8039

61 98381-0030

Top
 

Terapia por Ondas de Choque ou Ortotripsia

Tratamento inovador e importante aliado no tratamento de tendinites crônicas e da fascite plantar

O que é?

A terapia por ondas de choque é um método que utiliza ondas mecânicas, produzidas por equipamentos eletromagnéticos ou piezo-hidráulicos, para estimular a regeneração de tecidos musculoesqueléticos e, dessa forma, promover a recuperação de patologias ortopédicas crônicas e o tratamento de condições dolorosas.

Seu estudo, na área médica, se iniciou na década de 80, sendo inicialmente empregado para tratamento de cálculos renais (pedras nos rins). No início dos anos 2000, houve maior interesse de sua aplicação na área ortopédica, tendo sido desenvolvidos vários estudos que comprovaram os benefícios para o cuidado com diversas patologias do aparelho locomotor, devido ao seu efeito positivo na restauração das estruturas de tendões e fáscias. A cada ano os protocolos de aplicação se aprimoram, o rol de condições que podem ser tratadas cresce e a atenção da comunidade científica se volta cada vez mais para a ortotripsia.

Quais as alterações ortopédicas que podem ser tratadas pela ortotripsia?

Atualmente, as condições ortopédicas com maior evidência de bons resultados com o método são:

• Fascite plantar;
• Tendinopatia do Aquiles;
• Tendinopatia insercional do quadríceps e tendão patelar;
• Tendinopatia dos glúteos e bursite trocantérica (síndrome dolorosa do grande trocânter);
• Epicondilites lateral e medial do cotovelo;
• Tendinopatia calcárea do ombro;
• Tendinopatia do manguito rotador;
• Síndrome miofascial com pontos gatilho em trapézio, cervical e dorso.
• Artrite trapézio-metacarpiana (rizartrose);
• Tenossinovite de DeQuervain.

Como o tratamento é realizado?

O tratamento é realizado, geralmente, em 03 a 05 sessões, sendo que a primeira é precedida de uma avaliação sobre a lesão a ser tratada e as condições gerais do paciente, tendo uma duração em torno de 30 minutos. As demais sessões duram, em média, 15 a 20 minutos, podem ser mais longas se houver mais de uma articulação ou se a área tratada for mais extensa.

Outras alterações estão sendo estudadas com resultados promissores, como: síndrome do túnel do carpo, lesões musculares crônicas, retardos de consolidação de fraturas, além feridas crônicas do tipo pé diabético e úlceras de pressão (escaras de decúbito).

Quais as principais complicações que podem ocorrer?

A aplicação das ondas de choque costuma causar dor na área atingida, sobretudo nas primeiras sessões e em regiões em que existe menor cobertura por gordura ou músculo, como cotovelos, planta dos pés e ombros. A sensação dolorosa tende a durar poucas horas.

Algumas pessoas podem desenvolver vermelhidão ou mesmo equimose (manchas arroxeadas) sobre o local de aplicação. Pacientes em uso de anticoagulantes tem risco de desenvolver sangramentos e hematomas locais, sendo este tratamento contraindicado para tais pacientes.

Algumas lesões tendinosas podem ter risco de serem aumentadas se já estiverem com grau de comprometimento tendinoso mais adiantado.

A terapia por ondas de choque ou ortotripsia é uma ferramenta importante no arsenal ortopédico para o tratamento de várias patologias. Sua indicação precisa e execução adequada garantem eficiência e segurança ao tratamento, possibilitando o restabelecimento funcional mais rápido ao paciente.